Compartilhe esta postagem

A escalada é uma modalidade esportiva que abrange diferentes disciplinas. Trata-se da subida de superfícies verticais, englobando paredões de rocha ou gelo, blocos de pedra (boulders), falésias (costas) e montanhas rochosas.

Existem várias modalidades de escalada: escalada de bloco (Boulder), esportiva, indoor, tradicional, bigwall, alpina ou em alta montanha (alpinismo).

Montanhistas com mais de 40 anos como manter-se ativo com qualidade?

Escalada de Bloco

Rapha Raine – Escalada Boulder Lava Jato – Urca – RJ

A escalada em Bloco consiste em subir pequenos BLOCOS de rocha de aproximadamente ate uns 4metros, quando realizadas em blocos mais altos e chamada de High Ball. O único equipamento para proteger de uma possível queda são os Crash Pads, espécies de colchões com diferentes espessuras para absorver o impacto em caso de quedas.

Escalada Esportiva/ Indoor

Rapha Raine – Treino Indoor na Academia Evolução – RJ

A escalada indoor, define-se com uma escalada em paredes artificiais, e é dividida em três modalidades: Dificuldade, Velocidade e Boulder.

Dificuldade: Nessa modalidade, o objetivo dos atletas é atingir o ponto mais alto possível de uma parede de até 25 metros de altura, dentro de um certo período de tempo.

Velocidade: Aqui, dois atletas competem entre si simultaneamente em duas paredes de escalada de quinze metros de altura, paralelas, com agarras idênticas. Nessa modalidade, vence quem apertar primeiro o botão eletrônico localizado no topo da via.

Boulder: Essa modalidade é praticada em paredes de até quatro metros de altura, com a segurança feita por colchões no chão. Os atletas devem escalar vários boulders, como são chamadas as vias nessa modalidade, e a dificuldade é por serem poucos movimentos, com agarras com pega ruim ou distantes entre si.

Escalada Tradicional

Rapha Raine – Escalada “Trad”, ou tradicional – Cantagalo Lagoa – RJ

A escalada tradicional, também chamada de “Trad”, é o tipo de escalada clássica, utilizando o mais próximo dos formatos e estilos que eram utilizados até meados da década de 80, quando deu espaço para mais um formato, a escalada esportiva, mencionada anteriormente.

Em muitos casos na escalada tradicional, os escaladores sobem a rocha colocando suas próprias proteções, colocadas no ato da subida. Estas proteções são equipamentos móveis e temporários e são retirados após a subida do segundo escalador. Neste caso, ao retirar todas as proteções móveis, a rocha volta a estar no seu estado natural. No caso de vias já definidas com pontos fixos de ancoragem, esse processo não acontece.

Escalada Big Wall

O big wall são escaladas com duração mais longa, podendo durar até vários dias, onde os escaladores carregam além dos equipamentos de segurança, equipamentos para pernoitar na parede, como os porta ledges, espécie de abrigo para pernoite em ambientes verticais, mais acessórios para alimentação, hidratação e dispositivos também para suas necessidades fisiológicas como o Shit Tube.

Escalada Alpina/ Alpinismo

A escalada alpina se refere a forma como você pretende chegar ao cume da montanha. Neste estilo, você carrega tudo que precisa, sem uso de cordas fixas, da base até o topo sem ajuda. É o oposto do estilo excursionista, onde você pode utilizar carregadores, ou então em partes, subindo e voltando até buscar todo o necessário.

Origens históricas

A história em torno das primeiras práticas de escalada esportiva remete às práticas de montanhismo e de alpinismo, das quais o termo “escalada” teria sido generalizado, passando então a englobar diferentes manifestações. Desse modo, a origem da escalada é atribuída ao ano de 1786, quando os franceses Jacques Balmat e Michel Paccard escalaram o Mont Blanc – montanha localizada nos Alpes, na fronteira entre França e Itália.

Esse evento é considerado o marco inicial para as práticas de escalada porque, até então, não se tinha notícia de acontecimentos similares. Além disso, representa a origem da escalada, pois, pouco tempo depois, alguns esportistas ingleses e alemães estavam se dedicando à prática. Eles realizavam escaladas em paredões e com caráter de treinamento, ou seja, com o intuito de desenvolver habilidades e qualidades físicas para subir montanhas.

Escalada no Brasil

O primeiro registro histórico da prática de escaladas de montanhas no Brasil com caráter intencional e não exploratório data de 1817. Nesse ano, a inglesa Henrietta Carsteirs, residente na cidade do Rio de Janeiro, escalou até o cume do Pão de Açúcar, fincando lá a bandeira de seu país. Com isso, sentimentos nacionalistas foram despertados nos portugueses colonizadores.

Considerando uma audácia o comportamento de Carsteirs, o soldado Lusiano José Maria Gonçalves escalou o Pão de Açúcar no dia seguinte ao feito da inglesa. Trocando sua bandeira pela bandeira do Pavilhão Real Português. Com isso, uma nova prática teve início no país, culminando na “conquista” de diversas montanhas nesse mesmo século – a exemplo do Corcovado (1824), da Pedra da Gávea (1828), do Monte Olimpo (1879) e também do Pico das Agulhas Negras (1898).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras postagens da comunidade

Nosso horário de atendimento é de segunda à sexta das 08:00 às 18:00. Aos fins de semana e feriado não há atendimento.

Por favor insira seus dados para ser redirecionado ao setor responsável

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e recomendar conteúdo.